Arte híbrida: quando o cinema encontra o teatro

Convidados:

Com Christiane Jatahy e Daniela Thomas. Mediação: Ricardo Cota.

Data e Hora do Evento:

11 de dezembro, de 12h às 13h No Zoom (sem inscrição prévia).

RELEASE

Cinema híbrido, imagens que atravessam diversas artes e linguagens. Quantos cinemas existem? Quantas linguagens e mensagens podem estar contidas na linguagem cinematográfica? De quantos teatros se faz cinema?

Christiane Jatahy

Christiane Jatahy é autora, diretora de teatro e cineasta. Montou peças que transitam entre as fronteiras da realidade e da ficção, do ator e do personagem, do teatro e do cinema – a exemplo do filme A falta que nos move, filmado em 13 horas, sem cortes, por três câmeras na mão; e Julia, adaptação da obra Senhorita Julia, de Strindberg, uma mistura de teatro e cinema ao vivo – pelo qual ganhou o Prêmio Shell de Melhor Direção em 2012. Em 2021, apresentou Entre chien et loup, na abertura do Festival de Avignon, baseado em Dogville, de Lars Von Trier. A performance estará em turnê até 2023.

Daniela Thomas

Daniela Thomas é cineasta, cenógrafa, roteirista e dramaturga. Em parceria com Walter Salles, realizou longas-metragens como Terra estrangeira (1995), O primeiro dia (1999) e Linha de passe (2007), exibidos e premiados no Brasil e no exterior. Com Felipe Hirsch dirigiu Insolação (2009). Sua estreia solo na direção veio com o drama Vazante (2017), exibido, entre outros eventos, no Festival de Berlim e no Festival de Brasília. Seu longa mais recente é O banquete (2018).

Ricardo Cota

Curador do Festival Internacional de Cinema do Rio de Janeiro, do Festival de Cinema Brasileiro de Miami, do Cineclube Macunaíma da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e do Cineclube Casas Casadas da Associação Brasileira de Cinematografia (ABC).

NEWSLETTER

Cadastre seu e-mail em nossa newsletter e fique por dentro das novidades do Festival.