Projetar o Futuro - O Olhar Presente 2

Em 2021, o Festivalzinho exibe 17 títulos nacionais distribuídos em quatro programas voltados a crianças e pré-adolescentes, com a curadoria do CINEDUC. Confira os filmes do programa O Olhar Presente 2, com sete obras voltadas a pré-adolescentes de 13 a 17 anos.

Filmes disponíveis na InnSaei.TV entre 7 de dezembro (a partir de 20h) e 14 de dezembro (até às 23h59)

Heraldo de Deus e Vilma Martins

5 fitas

Direção: Heraldo de Deus e Vilma Martins
Ficção, 15 min, 2020, Bahia
Classificação indicativa livre

Em Salvador, todo ano é realizada a tradicional festa do Senhor do Bonfim, onde fiéis, turistas e foliões peregrinam até a famosa igreja para amarrar fitas e fazer pedidos. Os irmãos Pedro e Gabriel ouvem desde cedo as histórias da avó e decidem se aventurar sozinhos para fazer um pedido especial. Lá eles aprendem sobre religiosidade, sincretismo e importância da família.

A produtora Sujeito Filmes nasceu em Salvador/Bahia no ano de 2017 propondo cinema negro em todas as etapas da produção audiovisual. Produziram os curtas Sujeito objeto (2017), 5 fitas (2020) e Quantos mais? (2021), que circularam por diversos festivais nacionais e internacionais. Atualmente está desenvolvendo dois projetos de longa-metragem: O baiano precisa ser estudado, de Heraldo de Deus, e Star Video, de Vilma Martins.

FICHA TÉCNICA
Produtora: Sujeito Filmes
Produção executiva: Milena Anjos
Direção de produção: Laísa Costa, Daiane Silva, Iana Nascimento, Daniele Souza, Tainan Maria
Roteiro: Heraldo de Deus e Vilma Martins
Direção de fotografia: Ariel Ferreira
Direção de arte: Adriele Regine
Caracterização (maquiagem e figurino): Adriele Regine
Trilha sonora: Emillie Lapa e Elinaldo Nascimento
Mixagem: Piratas F&M
Montagem: Ana do Carmo
Assistência de direção: Djalma Calmon e Inajara Diz
Still: Vanessa Aragão e Paullus Jr.
Distribuição: Vilma Martins – Sujeito Filmes
Elenco: Adili Pita, João Pedro Costa, Matias Santana, Rejane Maya, Clara Paixão, Wesley Guimarães, Sergio Laurentino, Iana Nascimento

Marcos Magalhães

As novas aventuras do Kaiser

Direção: Marcos Magalhães
Animação, 11 min, 2020, Rio de Janeiro
Classificação indicativa livre

Em visita à Biblioteca Nacional, Guilherme e Olívia acidentalmente libertam o Kaiser, primeiro personagem da animação brasileira, e agora precisam evitar que ele destrua o mundo inteiro após um século aprisionado.

Contemplado em um edital de cinema do BNDES, As novas aventuras do Kaiser é uma coprodução entre as cariocas Animando, IDEOgraph e 2DLab. O curta animado é uma homenagem livre, imaginativa e bem-humorada à aventura do primeiro desenho animado brasileiro, O Kaiser, de Álvaro Marins (o cartunista Seth), do qual hoje lamentavelmente só se conhece uma única imagem de referência.

Animador desde os anos 1970, Marcos Magalhães realizou desde animações coletivas para a ONU até curtas autorais, passando pelo icônico Ratinho do Castelo Rá-Tim-Bum. Venceu um prêmio no Festival de Cannes (1982), fez intercâmbio no National Film Board (Canadá) e fundou o Festival Anima Mundi (1993).

FICHA TÉCNICA
Produtora: IDEOgraph
Produção executiva: Felipe Haurelhuk e Eduardo Calvet
Direção de produção: Ramon Vasconcellos
Roteiro: Marcos Magalhães, Hugo Moss e Claudio Formiga
Direção de arte e caracterização: Mário Proença
Trilha sonora: Rodrigo Marsillac
Mixagem: João Paulo Lacerda
Montagem: Anna Clara Miranda
Direção de animação: Alessandro Monnerat
Storyboard: David Mussel
Elenco: Renato Alencar, Gika Carvalho e Mônica Rossi

Juliana Donati e Vivian Moura

Cidade Descoberta

Direção: Julia Donati e Vivian Moura
Documentário, 8 min, 2021, Rio Grande do Norte
Classificação indicativa livre

Curta documental que traz a poesia das ruas e a vivência na cidade através da experiência de duas skatistas, Julia e Vivian. A narrativa parte de um olhar subjetivo sobre a experiência do corpo no espaço urbano e o skate como instrumento de arte e empoderamento.

O curta-metragem potiguar Cidade descoberta é uma produção independente, teve sua estreia nacional no Festival MoV. Cidade e foi convidado para participar da Mostra Natal: Cinema Cidade. Segundo as diretoras, a produção, realizada durante o período de pandemia e respeitando todas as normas de biossegurança, foi produzida por meio de imagens gravadas no celular e na câmera, retratando fragmentos de suas experiências individuais com o skate na cidade de Natal.

Julia Donati é pós-graduada em Produção de Documentários. Roteirizou o documentário Valsa dos rumos e dirigiu o curta-metragem Planta carne. Trabalhou como assistente de direção de fotografia no curta Sideral, filme selecionado para concorrer à Palma de Ouro em Cannes.

Vivian Moura é graduanda em Audiovisual, fluindo por diversas áreas do cinema, colaborou em obras como Cordel da Vila, Lemniscata, Womaneater, Dança das sombras, Entre telas, Programa Memória Viva e Festival Curva do Rio.

Ficha Técnica
Produção executiva, direção de produção, direção de fotografia, direção de arte, caracterização (maquiagem e figurino), trilha sonora, mixagem, elenco, distribuição: Julia Donati e Vivian Moura
Roteiro: Vivian Moura
Montagem: Julia Donati

Abdiel Anselmo e Mozart Freire

Educação Remota

Direção: Abdiel Anselmo e Mozart Freire
Documentário, 5 minutos, 2021, Ceará

A vida cotidiana de um jovem estudante de periferia durante a pandemia de Covid-19.

Realizado durante a pandemia de Covid-19, o filme foi financiado pela Lei Aldir Blanc e mistura relatos de diversos alunos com o cotidiano escolar on-line de Matheus Alves. Sua jornada é única e ao mesmo tempo representa a realidade de muitos jovens periféricos.

Abdiel Anselmo é escritor e realizador audiovisual. Suas principais experiências estão em direção, roteiro e edição de vídeo. Assina direção e o roteiro da websérie Casa de Fran (2020), Adventício (2020) e Educação remota (2021).

Mozart Freire é sociólogo, roteirista e diretor de cinema. Foi roteirista e diretor dos curtas Cinemão (2015), Janaína overdrive (2016), Pop ritual (2019), Fio de Ariadne (2021) e Educação remota (2021).

Ficha Técnica

Produtora: A A de Sousa
Produção executiva: Natasha Silva
Roteiro: Abdiel Anselmo, Bruna Costa e Mozart Freire
Direção de fotografia: Abdiel Anselmo e Bruna Costa
Direção de arte, caracterização (maquiagem e figurino), mixagem, montagem: Abdiel Anselmo
Assistência de direção: Flávio Araújo
Vozes: Matheus Alves, Thashymara Machado e Carolina Alves
Distribuição: A A de Sousa
Elenco: Matheus Alves e Geovana Maria

 

Well Darwin

Eu me chamo Darwin

Direção: Well Darwin
Documentário, 11 min, 2020, São Paulo
Classificação indicativa livre

Uma reflexão sobre a identidade a partir da memória. Quem somos, como somos vistos e como os pequenos gestos podem estar carregados de sentidos e intenções, às vezes ocultas, às vezes nem tanto. A questão racial tratada de uma forma incomum e inesperada.

 

Formado em Cinema e bacharel em História, Well Darwin é sócio na DGT Filmes, produtora independente com 20 anos de existência, com a qual produziu e dirigiu diversos filmes de longa, média e curta-metragem e acumulou dezenas de prêmios. Em 2020 teve parte de suas obras experimentais no Projeto Quarentena Projetada (IMS e Mídia Ninja), na Mostra Art120” (CC Vale Maranhão), no Homeostasis Lab, no Efêmero Festival, no Projeto Janelas da Distopia e em festivais e exposições internacionais.

Ficha técnica
Produção executiva, direção de produção, direção de fotografia e direção de arte: Well Darwin
Roteiro: Well Darwin e Sergio Gag
Trilha sonora: Eduardo Bonzatto
Mixagem e montagem: Sergio Gag
Distribuição: DGT FIlmes
Elenco: Kelson Succi

Juraci Júnior

Nazaré: do verde ao barro

Direção: Juraci Júnior
Animação, 8 min, 2021, Rondônia
Classificação indicativa livre

Uma família embarca em busca de uma nova vida. É na comunidade de Nazaré que a viagem ganha destino e onde eles constroem relações de afeto, respeito e amor com a Amazônia. A jornada se transforma ao longo do tempo, conforme as águas de um rio.

Juraci Júnior é publicitário, especialista em direção de criação de conteúdo. Multiartista, transita entre os palcos do teatro, telas do cinema e da TV. Recentemente, decidiu mergulhar também na escrita. No cinema, estreou como ator no curta Quimera, de Tarcísio Lara Puiati. Como roteirista e diretor, assinou os filmes Balanceia, em 2017, e Nazaré: do verde ao barro, em 2021. Seu primeiro livro, Pele de rio, foi premiado na 2ª Edição da Lei Aldir Blanc (RO) e está em fase de edição.

Ficha Técnica
Produtora: Casa do Rio Filmes
Produção executiva: Juraci Júnior e Fernanda Paiva
Direção de produção, direção de arte e caracterização (maquiagem e figurino): Fernanda Paiva
Roteiro: Juraci Júnior
Direção de fotografia: Rafael Oliveira
Trilha sonora e mixagem: Tullio Nunes
Montagem: Rone Mota
Distribuição: Casa do Rio Filmes

Humberto Rodrigues

Stone Heart

Direção: Humberto Rodrigues
Animação, 8 min, 2021, Amazonas
Classificação indicativa livre

A guerra, as epidemias, a escassez de recursos naturais e o colapso social transformaram os seres humanos em figuras deformadas de pedras, presos aos seus piores vícios. Até o momento em que uma flor surge e liberta um dos “stone walkers” desse isolamento.

Em um mundo abstrato pós-apocalíptico, pessoas foram transformadas em pedra. Uma flor aparece no deserto e liberta um dos caminhantes de pedra com sua beleza. Deste relacionamento cresce o egoísmo e prisão que evolui para um jornada emocional em direção à destruição.

Nascido em uma ilha com forte tradição artística do rio Amazonas, Humberto Rodrigues é artista premiado com 10 anos de experiência em animação. Possui especialização pela Gobelins/Paris. Atua na direção de projetos de cinema, TV e games. Suas produções foram exibidas em diversas partes do mundo.

Ficha técnica
Produtora: Druzina Content
Produção executiva e direção de produção: Luciana Druzina
Roteiro, direção de arte e montagem: Humberto Rodrigues
Trilha sonora: Bruno Mad
Mixagem: Ricardo Costa
Distribuição: Gianluca Cozza
Animadores: Humberto Rodrigues, Breno Lopes, Jonathan Souza, Gustavo Rodrigues e Pedro Ivo Carvalho

Curadoria

Marialva Monteiro (CINEDUC)

Graduada em Filosofia pela PUC-RJ, com mestrado em Filosofia da Educação pela Fundação Getúlio Vargas – RJ, Marivalda Monteiro é fundadora do CINEDUC – Cinema e Educação, entidade na qual trabalha há 50 anos com o uso da linguagem audiovisual no processo educativo. Escreveu o livro Cinema: uma janela mágica, em colaboração com Bete Bullara (e atualmente na terceira edição), sobre linguagem cinematográfica destinada aos jovens leitores. Foi jurada em vários festivais na Bolívia, Venezuela, Uruguai, Argentina, Bulgária, Polônia, França, Rússia e Índia. É curadora da Mostra 70 Olhares Sobre Direitos Humanos (2020), no Rio de Janeiro. Curadora do FECIBA 2021- Festival do Cinema Baiano.

Bete Bullara (CINEDUC)

Faz parte da equipe do CINEDUC desde 1975, onde participa de cursos e oficinas para professores, crianças e adolescentes, mesas redondas e palestras no Brasil e no exterior, além do preparo de material didático e publicações. Curadora e coordenadora de diversas mostras de cinema. Em 2021, realizou a coordenação da 2ª edição do Amazônia das Palavras.

José Jurandir da Costa (CINEDUC)

Produtor e cineasta cearense, há três décadas de Amazônia, onde desenvolve com a Acapulco Filmes, ações de formação, registro da memória e oficinas cinematográficas através das itinerâncias do Cineamazônia, Festival de Cinema Ambiental. Colaborador do Amazônia das Palavras. Atualmente prepara uma série sobre rios da Amazônia.

NEWSLETTER

Cadastre seu e-mail em nossa newsletter e fique por dentro das novidades do Festival.