O Olhar Presente 1 (6 a 12 anos)

Em 2021, o Festivalzinho exibe 17 títulos nacionais distribuídos em quatro programas voltados a crianças e pré-adolescentes, com a curadoria do CINEDUC. Confira os filmes do programa O Olhar Presente 1, com oito títulos voltados a crianças de 06 a 12 anos.

Filmes disponíveis na InnSaei.TV entre 7 de dezembro (a partir de 20h) e 14 de dezembro (até às 23h59)

Radhi Meron

Aurora - A rua que queria ser um rio

Direção: Radhi Meron
Animação, 10 min, 2021, São Paulo
Classificação indicativa livre

 

Se as ruas pudessem falar, o que diriam? Aurora é uma triste e solitária rua de uma grande cidade. Em um dia de chuva forte, ela relembra sua trajetória, sonha com o futuro e se pergunta: é possível uma rua morrer?

Roteirista, animadora e educadora formada em Educomunicação pela Escola de Comunicações e Artes da USP, Radhi Meron tem em seu trabalho autoral algumas obras premiadas, como o curta-metragem Peripatético (2016), o argumento de Mabel e Sara (2018) e o roteiro de Minha mãe não abre a porta (2019).

Ficha Técnica
Produtora: Circo Onírico Filmes e Produções Culturais
Produção executiva: Letícia Yabá e Gabriel Arruda
Direção de produção: Gabriel Arruda
Roteiro: Radhi Meron
Direção de fotografia: Gabriel Arruda e Jerê Nunes
Direção de arte: Erik Souza, Ana Rangel, Amanda Daphne, Breno Machado, Josi Reis e Luísa Brockman
Trilha sonora: Rodrigo Eba
Mixagem: Alandson Silva
Montagem: Gabriel Arruda
Elenco: Priscila Paes
Equipe de animação: Amanda Borges Leite, Bruna Santana, Danila Ribeiro, Fernanda Belo, Helen Okuma, Ivanildo Soares, Luciana Ferreira Yamana, Samia Harumi, Stefany Hibrain, Stephanie de Oliveira e Victor Bolo

Ester Harumi Kawai

Batchan

Direção: Ester Harumi Kawai
Animação, 5 min, 2020, São Paulo
Classificação indicativa livre

Como você descreveria uma voz… que nunca foi ouvida? Baseado na vida da autora, Batchan conta a história tocante de uma garotinha nipo-brasileira que tenta aprender a conversar com sua avó surda.

 

Ester Harumi Kawai é ilustradora e animadora 2D, natural de São Paulo, SP. Em 2017, formou-se em Letras Português/Inglês pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. Graduou-se então em Produção Audiovisual em 3D pela Faculdade Melies em 2019 e, no ano seguinte, produziu o curta Batchan como trabalho de conclusão da pós-graduação. Atualmente trabalha como revisora de animação no estúdio Birdo.

Ficha Técnica
Produção executiva, direção de produção, roteiro, mixagem e montagem: Ester Harumi Kawai
Direção de arte: Ester Harumi Kawai
Trilha sonora: Purple Planet (Royalt Free Music)
Elenco: Ester Harumi Kawai e Fernanda Okuyama

Matheus Lopes e Vinicius de Lima

Livre-se

Direção: Matheus Lopes e Vinicius de Lima
Animação, 3 min, 2020, São Paulo
Classificação indicativa livre

Raj, um menino indiano apaixonado por arte e livros, enfrenta um conflito interno, desafiado com uma mudança em seus hábitos de leitura. Após um final quase trágico e inesperado, ele é forçado a testar seus gostos e tentar resgatar sua antiga paixão.

Matheus Lopes, entusiasta de arte, criatividade e criação, começou os estudos de computação gráfica e 3D na Saga, fez curso de modelagem 3D na Faculdade Alpha Channel e, em 2020, se formou em Produção Audiovisual pela Faculdade Melies.

Vinicius de Lima é um apaixonado por tecnologia e diversos tipos de arte digital. Formado na Faculdade Melies de Tecnologia em 2020, dirigiu o curta-metragem de animação Livre-se juntamente com seu amigo Matheus.

Ficha Técnica

Produção executiva: Flávia Rabachim
Direção de produção, roteiro, direção de fotografia, direção de arte, trilha sonora, mixagem, montagem e animação: Matheus Lopes e Vinícius de Lima
Distribuição: Flávia Rabachim

Laly Cataguases

Meu Melhor Amigo

Direção: Laly Cataguases
Animação, 14 min, 2018, Minas Gerais
Classificação indicativa livre

Em uma viagem poética, um solitário menino dá vida ao seu melhor amigo.

Inspirado no poema homônimo de Raphael Vieira, este curta é o segundo da trilogia Primeiras Impressões, todos com protagonistas infantis, tratando sempre de um sentimento vivenciado pela primeira vez por aquela criança. O tema em Meu melhor amigo é a solidão, o sentir-se sozinho. Já o primeiro filme da trilogia é o curta O voo da cegonha, em live-action, que aborda o ciúme de uma criança quando nasce seu irmãozinho. E o terceiro é outra animação, Matilda, em captação, que fala sobre o sentimento da perda.

Laly Cataguases é roteirista e diretor mineiro de Cataguases, residente em BH. Atua no audiovisual há 21 anos. Roteirizou e dirigiu os curtas Meu melhor amigo, O voo da cegonha, Elza Geralda e Vida simplesmente e trabalhou em diversos filmes como continuísta e assistente de direção. Meu melhor amigo está dando origem a uma série infantil, em desenvolvimento. Seus projetos atuais são a direção de dois curtas infantis em animação, em captação de recursos, e o coautoria do roteiro de um longa em animação.

Ficha Técnica

Produtora: Pólen Estúdio de Animação
Produção executiva: Laly Cataguases e Rafael Guimarães
Direção de produção: Suzana Markus
Roteiro: Laly Cataguases
Direção de fotografia: Marco Aurélio Ribeiro
Direção de arte: Nélio Ribeiro
Trilha sonora: Gilberto Mauro
Mixagem: Ronaldo Gino
Montagem: Sílvia Pinheiro
Design de Personagens: Rafael Guimarães
Animação: Rafael Guimarães, Gabriel Brandão, Marcos Maciel, Israel Oliveira e Bruno Destéfani
Supervisão de animação, storyboard e composição: Rafael Guimarães
Modelagem: Bruno Destéfani, Rafael Guimarães e Comunidade Blender
Rigging e layout: Bruno Destéfani
Animatic: Laly Cataguases e Sílvia Pinheiro
Distribuição: Pólen Estúdio de Animação
Elenco: Ruan Felipe e Arthur Pinheiro

Eduardo Lurnel e Magna Domingues

Luísa Copetti

Meu nome é Maalum

Direção: Luísa Copetti, Eduardo Lurnel e Magna Domingues
Animação, 8 min, 2021, Rio de Janeiro
Classificação indicativa livre

Maalum é uma menina negra que nasce e cresce em um lar rodeado de amor e de referências afrocentradas. Logo que Maalum sai do seio de sua casa, ela se depara com os desafios impostos pelos discursos e práticas de uma sociedade racista. Assim que ela chega na escola, todos riem do seu nome. Ela não entende o porquê e, com ajuda da sua família, Maalum vai descobrir o significado e a tristeza se transforma em orgulho através da sua ancestralidade.

Luísa Copetti é artista visual em formação, diretora de arte, ilustradora e diretora de animação. Trabalha em animações para a plataforma TED Education, pela produtora Hype Animation. Em 2021, atuou nos trabalhos autorais, Tainá e a chuva, produção da Sincrocine Produções, e Meu nome é Maalum, produção Pé de Moleque Filmes.

Ficha Técnica
Produtora: Pé de Moleque Filmes
Produção executiva e direção de produção: Eduardo Lurnel e Marcela Baptista
Roteiro: Eduardo Lurnel e Magna Domingues
Direção de fotografia, direção de arte, caracterização (maquiagem e figurino) e montagem: Luísa Copetti
Trilha sonora: Maíra Freitas
Música Original: Yasmin Alves e Maíra Freitas
Mixagem: Gabriel Camargo e Matheus Cogli
Distribuição: Pé de Moleque Filmes
Elenco: Flávio Bauraqui, Layza Griot, Roberta Rodrigues

Tiago MAL

O Papagaio e a Pipa

Direção: Tiago MAL
Animação, 7 min, 2021, São Paulo
Classificação indicativa livre

Um menino constrói seu próprio papagaio e, com esforço, faz seu novo amigo voar alto no céu. O Papagaio conhece uma charmosa Pipa, mas logo a perde de vista. Destemido, parte em busca dela pelas ruas da cidade.

Uma história sobre esforço e perseverança: um menino que prefere fazer sua própria pipa a comprar uma pronta, sua jornada para aprender a fazê-la voar, não desistir quando as coisas dão errado e não deixar seu sonho se perder. A proposta  da direção foi combinar três estéticas diferentes para compor um filme “feito à mão”.

Formado em Imagem e Som na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) em 2001, Tiago MAL é sócio‐diretor da Rocambole Produções Audiovisuais. Desde 2001 atua na área de animação infantil como produtor e animador em curtas‐metragens, vídeos institucionais e comerciais. Produtor executivo e diretor de fotografia do longa‐metragem de animação stop motion: Teca e Tuti em: uma noite na biblioteca.

Ficha Técnica
Produtora: Rocambole Produções
Direção de produção: Tiago MAL
Roteiro: Tiago MAL
Direção de fotografia: Mateus Rios
Direção de arte: Mateus Rios
Trilha sonora: Composição musical / Musical composition: Luiz Fernando Vital   Finalização de Som /  Berimbau Estúdio
Mixagem: Adans Paulo
Montagem: Tiago MAL
Colaboração no roteiro: Eduardo Perdido e Diego M. Doimo
Storyboard: Mateus Rios e Maria Luiza Salvador
Animação 2D: Washington Rayk e Flávia Godoy
Animação Pipas: Érica Valle
Expressões Pipas e Rabiolas: Natália Sentanin
Cenários em aquarela: Mateus Rios
Título em aquarela: Denise Marcondes
Pintura Digital: Rebecca Monteiro e Allan Pilon
Animação 2D Adicional: Marão
Distribuição: Rocambole Produções

Camila Santana

Raone

Direção: Camila Santana
Documentário, 2 min, 2021, São Paulo
Classificação indicativa livre

Raone tem quatro anos e gosta de fantasiar, correr, brincar de boneca e fazer bolhas de sabão. Enquanto cria suas histórias e descobre o mundo, vai traçando uma infância alegre e livre de estereótipos.

Camila Santana é produtora audiovisual e arte-educadora, com foco em conteúdos para o público infantojuvenil. Produziu e dirigiu diversos curtas-metragens, incluindo Raone, vencedor do Prêmio Prix Jeunesse Ibero-americano e Coisa-Malu, que recebeu dois prêmios de melhor filme em festivais nacionais. É também curadora da mostra de cinema para crianças e adolescentes Recria Cine. Até 2020, ministrou aulas de audiovisual para crianças em unidades do SESC e escolas públicas.

Ficha Técnica
Produtora: Escafandra Transmedia
Produção executiva e direção de produção: Ana Teixeira e Camila Santana
Roteiro, direção de fotografia, mixagem e montagem : Camila Santana
Trilha sonora: Black Sparrow
Distribuição: Escafandra Transmedia
Elenco: Raone Sebastião Lopes Francisco

Sofia Federico

Utopia

Direção: Sofia Federico
Ficção, 13 min, 2021, Bahia
Não recomendado para menores de 10 anos

Guel e Bomani são vizinhos e vivem separados por um muro. Eles disputam a posse de um caleidoscópio. Maíra tenta resolver o conflito, mas depois acaba entrando na briga pelo objeto. Uma solução pode estar guardada no muro.

Sócia-fundadora da Benditas Projetos Criativos, Sofia Federico é mestranda no PósCom/UFBA e pesquisadora do grupo A-tevê (Laboratório de Análise de Teleficção). Realizou diversos conteúdos para cinema e TV, dentre os quais a série Tabuh! (2019), finalista do Prix Jeunesse Iberoamericano de 2019. Está em captação para o longa Tempo meio azul piscina, roteiro contemplado com o Prêmio Cabíria em 2019 e vencedor do FRAPA – Festival de Roteiro Audiovisual de Porto Alegre em 2020. Integra a Rede de Talentos Paradiso.

Ficha Técnica

Produtora: Benditas Projetos Criativos
Produção executiva: Marcos Povoas, Andrea Gama e Tatti Carvalho
Direção de produção: Karina Paz
Roteiro: Sofia Federico
Direção de fotografia: Jeronimo Soffer
Direção de arte: Luis Parras
Caracterização (maquiagem e figurino): Janaína Abdon e Dáfine Prates
Trilha sonora: André T
Mixagem: Estúdio Casa das Máquinas
Montagem: Marcos Povoas

Elenco: Giovanna Lima, Calí Rafael, Cauã Levi, João Caetano Alakija, Lary Bino, Letícia Mercês, Renato Fraga

Curadoria

Marialva Monteiro (CINEDUC)

Graduada em Filosofia pela PUC-RJ, com mestrado em Filosofia da Educação pela Fundação Getúlio Vargas – RJ, Marivalda Monteiro é fundadora do CINEDUC – Cinema e Educação, entidade na qual trabalha há 50 anos com o uso da linguagem audiovisual no processo educativo. Escreveu o livro Cinema: uma janela mágica, em colaboração com Bete Bullara (e atualmente na terceira edição), sobre linguagem cinematográfica destinada aos jovens leitores. Foi jurada em vários festivais na Bolívia, Venezuela, Uruguai, Argentina, Bulgária, Polônia, França, Rússia e Índia. É curadora da Mostra 70 Olhares Sobre Direitos Humanos (2020), no Rio de Janeiro. Curadora do FECIBA 2021- Festival do Cinema Baiano.

Bete Bullara (CINEDUC)

Faz parte da equipe do CINEDUC desde 1975, onde participa de cursos e oficinas para professores, crianças e adolescentes, mesas redondas e palestras no Brasil e no exterior, além do preparo de material didático e publicações. Curadora e coordenadora de diversas mostras de cinema. Em 2021, realizou a coordenação da 2ª edição do Amazônia das Palavras.

José Jurandir da Costa (CINEDUC)

Produtor e cineasta cearense, há três décadas de Amazônia, onde desenvolve com a Acapulco Filmes, ações de formação, registro da memória e oficinas cinematográficas através das itinerâncias do Cineamazônia, Festival de Cinema Ambiental. Colaborador do Amazônia das Palavras. Atualmente prepara uma série sobre rios da Amazônia.

NEWSLETTER

Cadastre seu e-mail em nossa newsletter e fique por dentro das novidades do Festival.