O que assistir no último dia de festival?

Murilo Rosa e Maria Paula. Foto: Paulo Cavera

A 54a edição do Festival de Brasília termina nesta terça (14), com cerimônia de premiação exibida na play.innsaei.tv a partir das 20h (disponível até meia-noite), com apresentação dos atores Murilo Rosa e Maria Paula. Saiba tudo da cerimônia aqui.

Muito além do evento de encerramento do festival, hoje ainda é dia para assistir a debates e uma série de filmes programados. Encerrando a programação de debates, as equipes de Era uma Vez… Uma Princesa, Da Boca da Noite à Barra do Dia e Saudade do Futuro se encontram às 10h desta terça (14), para um papo sob a mediação de Tatiana Andrade (entre na atividade).

O filme de encerramento do festival fica disponível na InnSaei.TV até às 20h de hoje. Abdzé Wede´Õ – Vírus não tem cura? (MT), de Divino Xavante aborda a luta dos povos Xavante contra o coronavírus. Os demais títulos expiram hoje à meia-noite.  Já que ninguém me tira pra dançar, filme de abertura sobre Leila Diniz ainda pode ser assistido, assim como Catadores de História, longa de Tânia Quaresma apresentado como homenagem da Mostra Brasília. No Festivalzinho, 15 curtas ainda estão disponíveis.

Cena do filme Procura-se Meteorango Kid

Pela Mostra Memória e Linguagens, você ainda pode ver o clássico Samba Riachão (2001), filme de Jorge Alfredo sobre o sambista baiano; e Procura-se Meteorango Kid: Vivo ou Morto documentário de Marcel Gonnet e Daniel Fróes ainda não lançado em salas do Brasil, sobre o mítico personagem Meteorango Kid do filme homônimo de André Luiz Oliveira, ícone da contracultura censurado pela ditadura em 1969. Disponíveis até às 23h59 de hoje.

A Mostra Sessentinha exibe nove clássicos da cinematografia brasiliense disponíveis, Alma Palavra Alma, Atlântico Negro – Na Rota dos Orixás, Louco por Cinema, Um Assalto de Fé, Sequestramos Augusto César, BraxíliaW3 Sul – Memória Coletiva e A Saga das Candangas Invisíveis. A Sessentinha programa, ainda, uma homenagem aos 50 anos de O País de São Saruê, longa icônico de Vladimir Carvalho. Títulos disponíveis até às 23h59 de hoje.

Pesquisa

Queremos saber o que você achou desta edição virtual do Festival de Brasília. Responda à pesquisa de satisfação e concorra a 30 catálogos sorteados pelo festival. Item disputado, o catálogo carrega a memória de cada edição do evento. Enviarmos para os endereços – em território brasileiro – dos vencedores do sorteio (caso o endereço seja). Participe!

 

 

Conheça a programação desta quarta (8 de dezembro) no Festival de Brasília

Mostra Brasília
A quarta (8) é marcada pela estreia da Mostra Brasília 2021. Os curtas candangos Tinhosa (Rafael Cardim Bernardes, fic, 17 min, 2021, DF) e Tempo de Derruba (Gabriela Daldegan, doc, 30 min, 2021, DF), e o longa O Mestre da Cena (João Inácio, doc, 74 min, 2019,DF) ganham as telas a partir das 20h (permanecendo disponíveis até às 19h59 do dia 10 de dezembro). 


Foto de Tinhosa

Mostra Competitiva 
Desde 01h30 (e até 23h29) o filme Alice dos Anjos (Daniel Leite Almeida, fic, 76 min, 2021, BA) está disponível na InnSaei.TV (aguardando seu voto, inclusive!). Os curtas Filhos da Periferia (Arthur Gonzaga, fic, 16 min, 2021, DF) e Chão de Fábrica (Nina Kopko, fic, 24 min, 2021, SP) estreiam na InnSaei.TV às 22h30, e são exibidos até às 22h30 do dia seguinte.


Foto de Filhos da Periferia

Lavra
Às 23h30 desta quarta (8) é a vez de Lavra, longa mineiro de Lucas Bambozzi (fic, 97 min, 2021) estrear no Canal Brasil. Mais tarde, à 01h30 do dia 9 (quinta), Lavra estreia na InnSaei, ficando em cartaz até 23h30. O filme expõe as feridas da devastação ambiental percorrendo os caminhos da lama tóxica e criminosa que devasta cidades inteiras.

Memória e Linguagens
A mostra Memória e Linguagens é composta por quatro longas-metragens que investigam a cultura brasileira por meio de personagens, situações, criações artísticas e da própria formatação da identidade nacional. Os Ossos da Saudade (Marcos Pimentel, 107 min, 2021, MG), Procura-se Meteorango Kid: vivo ou morto (Marcel Gonnet e Daniel Fróes, 99 min, 2022 – previsão, BA), Rolê – Histórias dos Rolezinhos (Vladimir Seixas, 82 min, 2021, RJ, foto) e Samba Riachão (Jorge Alfredo, 86 min, 2001, Bahia) são os títulos exibidos.

Imagem do filme Procura-se Meteorango Kid: vivo ou morto

Assista ao trailer do longa Rolê – Histórias dos Rolezinhos:

Masterclasses e Ambiente de mercado
Às 14h, o presidente da Cinemateca Francesa Costa-Gavras ministra a masterclass O desafio da memória, com mediação de Jorge Duran (acesse). No ambiente de mercado, às 16h30 a mesa Cinema industrial em um universo multifacetado reúne Luiz Noronha, Mayra Lucas, Iafa Britz, Viviane Ferreira, Marcus Ligocki e Ana Paula Sousa (acesse).


Costa-Gavras

Debates, atividades formativas e painéis setoriais
Às 10h, o filme de abertura ganha debate mediado por Denise Lopes (acesse). Também às 10, os Seminários e Painéis Setoriais iniciam sua jornada com um encontro da Conexão Audiovisual Norte, Nordeste e Centro-Oeste – CONNE, com Clemilson Farias, Marcus Ligocki, Pedro Novaes e Cibele Amaral  (acesse). Às 14h é a vez do painel O olhar feminino: estéticas, distopias e hibridações no cinema brasileiro feito por mulheres com Luiza Lusvarghi, Lilian Solá Santiago, Karla Bessa e Edileuza Penha (acesse).


Cibele Amaral

Saiba como acompanhar a programação

>>> Todos os estão filmes disponíveis na InnSaei.TV (longas das mostra competitiva também no Canal Brasil)

>>> Debates, Ambiente de Mercado, Masterclasses, Seminários e Painéis Setoriais no Zoom, sem inscrição prévia, com links de acesso na aba programação aqui do site.

>>> Programe-se com antecedência e ative os lembretes do site do festival diretamente em sua agenda digital favorita.

Mostras paralelas exibem mais de 30 títulos para públicos de todas as idades

Em 2021 o Festival de Brasília exibe duas mostras paralelas propostas pelos curadores do festival – Tânia Montoro e Sílvio Tendler. A mostra Sessentinha, reúne nove clássicos do cinema brasiliense, entre eles Louco por Cinema (André Luiz Oliveira, 100 min, 1995, DF), Braxília (Dannyella Proença, 17min35s, 2010, DF), Sequestramos Augusto César (Gui Campos, 22 min, 2004, DF) e a exibição especial de cópia restaurada de O país de São Saruê (Vladimir Carvalho, 123 minutos, 1971, PB).

A mostra Memória e Linguagens é composta por quatro longas-metragens que investigam a cultura brasileira por meio de personagens, situações, criações artísticas e da própria formatação da identidade nacional. Os Ossos da Saudade (Marcos Pimentel, 107 minutos, 2021, MG), Procura-se Meteorango Kid: vivo ou morto (Marcel Gonnet e Daniel Fróes, 99 min, 2022 – previsão, BA), Rolê – Histórias dos Rolezinhos (Vladimir Seixas, 82 min, 2021, RJ) e Samba Riachão (Jorge Alfredo, 86 min, 2001, Bahia) são os títulos exibidos.

Outros dois longas e 15 curtas ganham exibição pelo Festivalzinho, mostra infanto-juvenil com curadoria do Cineduc – Cinema e Educação, dividida entre a exibição do premiado longa O Menino e o Mundo (Alê Abreu, 80 min, 2013, SP), de cópia restaurada do de Aventuras com Tio Maneco (Flávio Migliaccio, 97 min, 1971, RJ), e de dois programas com curtas-metragens: um voltado a adolescentes de 13 a 17 anos, e outro para crianças de 6 a 9 anos, com obras do Amazonas, Bahia, Ceará, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rondônia e São Paulo. 

O Festival de Brasília do Cinema Brasileiro é realizado pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do DF em parceria com a Associação Amigos do Futuro e apoio do Canal Brasil, InnSaei.TV, Naymovie e CiaRio. 

NEWSLETTER

Cadastre seu e-mail em nossa newsletter e fique por dentro das novidades do Festival.