Festival de Brasília começa nesta terça (7)

Tem início nesta terça-feira, dia 7 de dezembro, a 54ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. Apresentada diretamente do Cine Brasília pela atriz e apresentadora Maria Paula Fidalgo, a Cerimônia de Abertura do festival é transmitida às 20h na plataforma InnSaei.TV, onde encontram-se gratuitamente os 63 títulos programados pelo festival até o dia 14 de dezembro.

Maria Paula no Cine Brasília (2021). Foto: Paulo Cavera

Realizada virtualmente, tal como toda a programação do evento, a Cerimônia tem entre seus participantes, o Secretário de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal, Bartolomeu Rodrigues, os curadores Silvio Tendler e Tania Montoro, a cineasta e gestora cultural Olga Futemma – que recebe a medalha Paulo Emílio Salles Gomes, concedida a grandes contribuintes da memória e pensamento do cinema nacional – e da diretora do filme de abertura, Ana Maria Magalhães.

Magalhães apresenta Já que Ninguém me Tira pra Dançar (doc, 91 min, 2021, RJ), documentário realizado em homenagem à sua amiga pessoal Leila Diniz, que fica disponíveis até o fim do festival. Também às 20h, uma série de filmes estreiam na InnSaei.TV nesta terça, restando disponíveis até o dia 14 de dezembro. São eles: os nove títulos exibidos pela Mostra Sessentinha, que celebra o melhor da filmografia brasiliense, os dois programas de curtas do Festivalzinho (programação para crianças e adolescentes) e Catadores de História (doc, 75 min, 2016, DF), filme que abre a mostra Brasília, homenageando Tânia Quaresma.

A Mostra Competitiva também tem início nesta terça, mais tarde, às 22h30. Os curtas Ocupagem (Joel Pizzini, doc, 12 min, 2021, SP) e Terra Nova (Diego Bauer (fic, 22 min, 2021, AM) estão disponíveis até às 22h30 da quarta-feira, dia 8 de dezembro. Às 23h30, o longa Alice dos Anjos (Daniel Leite Almeida, fic, 76 min, 2021, BA) é exibido no Canal Brasil e na madrugada de 8 de dezembro, estreia na InnSaei, ficando disponível até às 22h29 do mesmo dia 8. Na manhã de quarta (8), às 10h, acompanhamos o debate do filme de abertura, sob a mediação de Denise Lopes.

A programação completa do Festival de Brasília pode ser encontrada aqui. O usuário salva todos os eventos em sua agenda pessoal no Google e acessa diretamente os filmes na InnSaei. Programe-se!

 

Conheça os prêmios concedidos e o júri das mostras competitivas do Festival de Brasília

 

Desde sua 50ª edição, o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro adaptou sua política de premiação, substituindo prêmios em dinheiro, que eram concedidos apenas aos vencedores, por cachês de seleção igualitários para todos os filmes exibidos, distribuindo, assim, recursos a todos os filmes participantes do festival. A premiação consiste nas láureas de receber um dos 44 tradicionais Troféus Candangos, além de prêmios técnicos, concedidos em 2021 pela empresa de locação de equipamentos Naymovie, em parceria com a CiaRio – Centro de Infraestrutura Audiovisual.

Na Mostra Brasília e nas categorias Curtas e Longas da Mostra Competitiva, premia-se as categorias Curta e Longa Metragem, os Melhores Filmes pelo Júri Oficial e pelo Júri Popular, Melhor Atriz e Ator, Fotografia, Direção, Roteiro, Direção de Arte, Montagem, Som, Maquiagem, Figurino e os Melhores Filmes com Temática Afirmativa. 

Outros três candangos são oferecidos na noite de encerramento: o de Conjunto da Obra, que em 21 é da fundamental Léa Garcia; o Prêmio Marco Antônio Guimarães, concedido pelo Centro de Pesquisadores do Cinema Brasileiro (CPCB) ao filme que melhor utiliza material de memória, pesquisa e arquivos do cinema brasileiro; e o Prêmio Cosme Alves Netto, entregue pela Anistia Internacional Brasil ao filme exibido que mais se aprofunda nas agendas dos direitos humanos. 

Os prêmios técnicos em 2021 são concedidos pela Naymovie em parceria com a CiaRio. Com o nome de Prêmio Edina Fujii – CiaRio, são concedidos recursos de R$ 15.000 em locação de equipamentos de luz, acessórios e maquinários ao Melhor Curta da Mostra Competitiva Nacional pelo Júri Popular; além de R$ 25.000 e R$ 10.000 revertidos respectivamente em locações aos Melhores Longa e Curta-metragem da Mostra Brasília pelo Júri Oficial. 

O Júri da Mostra Competitiva de Longas é composto pelo produtor Marcus Ligocki, a diretora Emília Silveira e a diretora-presidenta da SPCine, advogada e diretora de cinema Viviane Ferreira. Para os Curtas da Mostra Competitiva, formam o júri o jornalista e crítico Marcelo Janot, a montadora e roteirista Karen Black, e a produtora audiovisual Anamaria Mühlenberg. Já na Mostra Brasília, o júri é composto pela curadora Fabiana de Assis, a diretora e montadora Adriana de Andrade, e o diplomata, crítico e professor audiovisual João Lanari Bo. Assista à cerimônia de encerramento e premiação no dia 14 de dezembro, a partir das 20h, na Innsaei.TV. 

O Festival de Brasília do Cinema Brasileiro é realizado pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do DF em parceria com a Associação Amigos do Futuro e apoio do Canal Brasil, InnSaei.TV, Naymovie e CiaRio. 

Mostras paralelas exibem mais de 30 títulos para públicos de todas as idades

Em 2021 o Festival de Brasília exibe duas mostras paralelas propostas pelos curadores do festival – Tânia Montoro e Sílvio Tendler. A mostra Sessentinha, reúne nove clássicos do cinema brasiliense, entre eles Louco por Cinema (André Luiz Oliveira, 100 min, 1995, DF), Braxília (Dannyella Proença, 17min35s, 2010, DF), Sequestramos Augusto César (Gui Campos, 22 min, 2004, DF) e a exibição especial de cópia restaurada de O país de São Saruê (Vladimir Carvalho, 123 minutos, 1971, PB).

A mostra Memória e Linguagens é composta por quatro longas-metragens que investigam a cultura brasileira por meio de personagens, situações, criações artísticas e da própria formatação da identidade nacional. Os Ossos da Saudade (Marcos Pimentel, 107 minutos, 2021, MG), Procura-se Meteorango Kid: vivo ou morto (Marcel Gonnet e Daniel Fróes, 99 min, 2022 – previsão, BA), Rolê – Histórias dos Rolezinhos (Vladimir Seixas, 82 min, 2021, RJ) e Samba Riachão (Jorge Alfredo, 86 min, 2001, Bahia) são os títulos exibidos.

Outros dois longas e 15 curtas ganham exibição pelo Festivalzinho, mostra infanto-juvenil com curadoria do Cineduc – Cinema e Educação, dividida entre a exibição do premiado longa O Menino e o Mundo (Alê Abreu, 80 min, 2013, SP), de cópia restaurada do de Aventuras com Tio Maneco (Flávio Migliaccio, 97 min, 1971, RJ), e de dois programas com curtas-metragens: um voltado a adolescentes de 13 a 17 anos, e outro para crianças de 6 a 9 anos, com obras do Amazonas, Bahia, Ceará, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rondônia e São Paulo. 

O Festival de Brasília do Cinema Brasileiro é realizado pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do DF em parceria com a Associação Amigos do Futuro e apoio do Canal Brasil, InnSaei.TV, Naymovie e CiaRio. 

Conheça a programação de masterclasses, debates, ambiente de mercado, seminários e painéis setoriais do Festival de Brasília

Além dos filmes, o Festival de Brasília programa masterclasses, seminários e painéis setoriais, atividades voltadas ao mercado, oficinas e os clássicos e acalorados debates, todos realizados na plataforma Zoom sem inscrição prévia (com exceção das oficinas).

As masterclasses gratuitas contam com as presenças ilustres de Ruy Guerra (foto acima), Helena Solberg, Amos Gitai e Costa-Gavras. As atividades de mercado, debatem cinema industrial, games, realidade virtual, circuitos de festivais e as perspectivas do audiovisual para um futuro próximo. Entre os convidados estão Christiane Jatahy, Daniela Thomas, Viviane Ferreira (foto abaixo), Eliane Russi, Pedro Butcher, Maya Da-Rin e Ilda Santiago, responsável pela articulação destas atividades. 

Nos seminários e painéis setoriais, serão debatidas narrativas femininas, periféricas, indígenas e quilombolas, o futuro dos cineclubes, hibridismos no cinema, cinema e educação. Entre outros temas, celebra-se também o centenário do cineasta francês Chris Marker. Fernando Gabeira (foto abaixo), Cibele Amaral, Robert Grelier, Susanna Lira, Vladimir Carvalho e  Paula Saldanha são alguns dos confirmados.

Nos debates, além da oportunidade de reflexão sobre todos os filmes exibidos, realiza-se outra homenagem, agora ao documentarista chinês naturalizado britânico Adrian Cowell. E nas oficinas, com inscrições encerradas em 21 de novembro, os inscritos participam de atividades ferramentais sobre produção colaborativa, games, animação, roteiro, finalização e produção de web-documentários. Entre os convidados estão Kevin MacDonald, Liana Brazil, Cavi Borges, Felipe F. Costa, Adriana Mota e Fabiano, o Silva.

O Festival de Brasília do Cinema Brasileiro é realizado pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do DF em parceria com a Associação Amigos do Futuro e apoio do Canal Brasil, InnSaei.TV, Naymovie e CiaRio. 

Festival de Brasília exibe filme inédito sobre Leila Diniz em sua abertura

Entre 7 e 14 de dezembro de 2021, os entusiastas do cinema nacional têm encontro virtual marcado na 54ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. Em função da pandemia de Covid-19, todas as atividades apresentadas acontecem virtualmente, contemplando a exibição dos 63 filmes programados na plataforma de streaming InnSaei.TV, sendo os longas da mostra competitiva nacional apresentados também no Canal Brasil.

Com cerimônia de abertura transmitida pela InnSaei, a homenageada da noite é Leila Diniz, frequentadora ilustre do Festival de Brasília em seus primeiros anos. Apresenta-se Já que Ninguém me Tira pra Dançar de Ana Maria Magalhães (91 min, 2021, RJ), documentário realizado a partir de restaurações de entrevistas concedidas por Leila (1945-72). Nesta noite, a cineasta e gestora cultural Olga Futemma recebe a medalha Paulo Emílio Salles Gomes, concedida a grandes contribuintes da memória e pensamento do cinema nacional.

No encerramento do festival, além da divulgação dos vencedores das Mostras Competitiva e Brasília (filmes já divulgados, veja aqui), apresenta-se Abdzé Wede’ÕVírus não tem cura? (55 min, 2021, MT), obra de Divino Xavante que denuncia os impactos do Coronavírus na vida dos povos Xavante. Durante a cerimônia de premiação, homenageia-se a atriz Léa Garcia (88 anos), que ganha Candango Especial pelo Conjunto da Obra.

O Festival de Brasília do Cinema Brasileiro é realizado pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do DF em parceria com a Associação Amigos do Futuro e apoio do Canal Brasil, InnSaei.TV, Naymovie e CiaRio. 

NEWSLETTER

Cadastre seu e-mail em nossa newsletter e fique por dentro das novidades do Festival.