Confira a lista de premiados da 54ª edição do Festival de Brasília

A 54ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro transmitiu sua cerimônia de encerramento em formato virtual na noite desta terça (14), na plataforma play.innsaei.tv. Apresentada por Murilo Rosa e Maria Paula Fidalgo, a cerimônia distribuiu 46 Troféus Candangos, dois troféus especiais de parceiros e prêmios técnicos às equipes dos 28 filmes selecionados nas Mostras Competitiva e Brasília. E a boa notícia é que quem não assistiu aos títulos premiados como Melhores Filmes pelos Júris Oficial e Popular, pode assistir às exibições especiais até às 23h59 do dia 16 de dezembro (quinta),  na plataforma play.innsaei.tv. Conheça os prêmios da noite:

Saudade do Futuro

Saudade do Futuro, filme de estreia-solo na direção de longas de Anna Azevedo, foi o grande vencedor do prêmio de Melhor Longa pelo Júri Oficial. A obra explora a ligação entre Portugal, Brasil e Cabo Verde pelo mar e a cultura da saudade.

Alice dos Anjos de Daniel Leite Almeida teve resultado arrebatador na premiação do festival, conquistando seis Candangos – Melhor Filme pelo Júri Popular e Prêmio Abraccine, Melhor Direção, Maquiagem para Claudia Riston, Figurino para Lívia Liu e Direção de Arte para Luciana Buarque. Filmada em Vitória da Conquista, a obra infanto-juvenil transporta a fantasia de Alice de Lewis Carroll ao contexto do sertão nordestino, tendo a menina Alice dos Anjos como personagem de uma saga conduzida por personagens improváveis. 

Ela e Eu, longa de Gustavo Rosa de Moura – que traz Andréa Beltrão na personagem Bia em plena recuperação após acordar de coma de 20 anos – levou três Candangos: Melhor Atriz para Andréa Beltrão, Melhor Ator para Eduardo Moscovis, e Melhor Roteiro, assinado pelo diretor, a protagonista e Leonardo Levis.

Andréa Beltrão em Ela e Eu

De Onde Viemos, Para Onde Vamos, filme de Rochane Torres que deflagra resistência e conflitos de identidade do povo Iny, habitante da Ilha do Bananal, levou Melhor Som, por Paulo Gonçalves, Melhor Filme Com Temática Afirmativa e ainda recebeu menção honrosa do júri da Abraccine. Acaso, de Luís Jungmann Girafa, venceu Melhor Montagem – de Juana Salama, e Lavra de Lucas Bambozzi ganhou Melhor Fotografia  – de Bruno Risas , além de menção honrosa do júri, composto pelo produtor Marcus Ligocki, a diretora Emília Silveira e a diretora-presidente da SPCine Viviane Ferreira.

Entre os curta-metragens vencedores na Mostra Competitiva Nacional, Chão de Fábrica, de Nina Kopko – sobre a convivência de operárias em São Bernardo do Campo nos anos 1979 – conquistou cinco Candangos, entre eles o de Melhor Curta pelo Júri Oficial, Melhor Direção, Melhor Atriz para Joana Castro, Melhor Montagem para Lis Paim e Melhor Figurino para Gabriella Marra. O prêmio de Melhor Ator foi entregue a Sebastião Pereira de Lima, mestre Martelo do cavalo-marinho pernambucano, documentado em Da Boca da Noite à Barra do Dia, de Tiago Delácio. O filme levou também o prêmio de Melhor curta-metragem pelo Júri Popular, acompanhado de prêmio técnico da Naymovie e CiaRio valorado em R$ 15.000,00.

Adão, Eva e o Fruto Proibido de R.B Lima levou os prêmios de Melhor Roteiro pelo Júri Oficial e Melhor Curta-Metragem pelo júri da Abraccine. Como respirar fora d’água, de Júlia Fávero e Victoria Negreiros, conquistou o Candango de Melhor Som e o Troféu Canal Brasil, entregue ao melhor curta segundo júri técnico do canal. Dani Drumond levou Melhor Fotografia por Cantareira; Rodrigo Lélis ganhou Melhor Direção de Arte por Filhos da Periferia; e Vinne Negrão venceu Melhor Maquiagem por Sayonara

Era uma Vez… Uma Princesa, de Lisiane Cohen, levou o Prêmio de Melhor Curta com Temática Afirmativa; Ocupagem, de Joel Pizzini, recebeu o Prêmio Marco Antônio Guimarães, concedido pelo CPCB ao filme que melhor utiliza material de memória, pesquisa e arquivos do cinema brasileiro; e Terra Nova recebeu o Prêmio Cosme Alves Netto, entregue pela Anistia Internacional ao filme que mais se aprofunda nas agendas de direitos humanos. Durante a premiação, as atrizes da obra, Karol Medeiros e Isabela Catão, receberam menção honrosa do júri, composto pelo jornalista e crítico Marcelo Janot, a montadora e roteirista Karen Black, e a produtora audiovisual Anamaria Mühlenberg.


Conheça os resultados da Mostra Brasília

O longa Acaso, de Luís Jungmann Girafa e o curta Benevolentes, de Thiago Nunes, venceram os prêmios de Melhor Filme pelo Júri Oficial da Mostra Brasília, levando também os prêmios técnicos da Naymovie e CiaRio, nos valores de R$ 25.000,00 e R$ 10.000,00, respectivamente. 

Advento de Maria, de Vinícius Machado, impressionou ao retratar a história de uma menina transgênero de 11 anos buscando sua identidade, vencendo cinco prêmios: Melhor Longa pelo Júri Popular, Melhor Roteiro, Melhor Atriz para a jovem Maria Eduarda Maia, Melhor Maquiagem para Alzira Bosaipo e Melhor Figurino para Tiago Nery. A Casa do Caminho de Renan Montenegro venceu Melhor Curta pelo Júri Popular e Melhor Filme com temática afirmativa da mostra. 

Noctiluzes de Jimi Figueiredo e Sérgio Sartório levou os prêmios de Melhor Direção e Melhor Ator, dividido este ano entre os três protagonistas, interpretados por André Deca, Chico Sant’Anna e Vinícius Ferreira. O curta Cavalo Marinho de Gustavo Serrate venceu Melhor Fotografia; Filhos da Periferia, de Arthur Gonzaga, levou Melhor Direção de Arte por Rodrigo Lelis; e Hudson Vasconcelos ganhou Melhor Som por Ele tem Saudade, de João Campos.

O Mestre da Cena, de João Inácio, sobre o ator e diretor Gê Martú, venceu prêmio de Melhor Montagem, e Gê foi laureado com o Troféu Saruê, concedido pela equipe do caderno de cultura do Correio Braziliense ao “acontecimento” de cada edição do festival. Vírus, de Larissa Mauro e Joy Ballard recebeu menção honrosa do júri, composto pela curadora Fabiana de Assis, a diretora e montadora Adriana de Andrade, e o diplomata, crítico e professor de audiovisual João Lanari Bo.

A 54ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro foi realizada pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do DF em parceria com a Associação Amigos do Futuro e apoio do Canal Brasil, InnSaei.TV, Naymovie e CiaRio. 

Filmes premiados ganham exibições especiais na Innsaei

A boa notícia para quem não conseguiu acompanhar o Festival de Brasília é que os filmes vencedores nas categorias Júri Popular e Júri Oficial seguem em cartaz gratuitamente na plataforma play.innsaei.tv até às 23h59 do dia 16 de dezembro (quinta-feira). Assista agora a Saudade do Futuro, Alice dos Anjos, Chão de Fábrica, Da Boca da Noite à Barra do Dia, Advento de Maria, Acaso, Benevolentes e A Casa do Caminho.

Veja a lista completa de premiados da noite:

Mostra Competitiva – Longas

Melhor Longa Júri Oficial 
Saudade do Futuro, de Anna Azevedo

Melhor Longa Júri Popular 
Alice dos Anjos, de Daniel Leite Almeida

Melhor Direção
Daniel Leite Almeida, por Alice dos Anjos

Melhor Atriz
Andréa Beltrão, por Ela e Eu

Melhor Ator
Eduardo Moscovis, por Ela e Eu

Melhor Fotografia
Bruno Risas, por Lavra

Melhor Roteiro
Gustavo Rosa de Moura, Leonardo Levis e Andréa Beltrão, por Ela e Eu

Melhor Direção de Arte
Luciana Buarque, por Alice dos Anjos

Melhor Montagem
Juana Salama, por Acaso

Melhor Som
Paulo Gonçalves, por De Onde Viemos, Para Onde Vamos

Menção honrosa do Júri
Ao filme Lavra, de Lucas Bambozzi

Melhor Caracterização – Maquiagem
Claudia Riston, por Alice dos Anjos

Melhor Caracterização – Figurino
Lívia Liu, por Alice dos Anjos

Melhor Filme com Temática Afirmativa
De Onde Viemos, Para Onde Vamos, de Rochane Torres

Júri da Mostra Competitiva – Longas:  composto pelo produtor Marcus Ligocki, a diretora Emília Silveira e a diretora-presidente da SPCine Viviane Ferreira.

Mostra Competitiva – Curtas

Melhor Curta Júri Oficial
Chão de Fábrica, de Nina Kopko

Melhor Curta Júri Popular + Prêmio Edina Fujii – CiaRio: 15.000 reais em aluguel de equipamentos de luz, acessórios e maquinários concedidos pela Naymovie, em parceria com a CiaRio
Da Boca da Noite à Barra do Dia, de Tiago Delácio

Melhor Direção
Nina Kopko, por Chão de Fábrica

Melhor Atriz

Joana Castro, por Chão de Fábrica

Melhor Ator
Sebastião Pereira de Lima, por Da Boca da Noite à Barra do Dia

Menção honrosa do Júri
Às atrizes do filme Terra Nova, Karol Medeiros e Isabela Catão

Melhor Fotografia
Dani Drumond, por Cantareira

Melhor Roteiro
R.B Lima, por Adão, Eva e o Fruto Proibido

Melhor Direção de Arte
Rodrigo Lelis, por Filhos da Periferia

Melhor Montagem
Lis Paim, por Chão de Fábrica

Melhor Som
Bia Hong, por Como Respirar Fora D’Água

Melhor Caracterização – Maquiagem
Vinne Negrão, por Sayonara

Melhor Caracterização – Figurino

Gabriella Marra, por Chão de Fábrica

Melhor Filme com Temática Afirmativa
Era uma Vez… Uma Princesa, de Lisiane Cohen

Júri da Mostra Competitiva – Curtas:  composto pelo jornalista e crítico Marcelo Janot, a montadora e roteirista Karen Black, e a produtora audiovisual Anamaria Anamaria Mühlenberg.

Mostra Brasília – Curtas e Longas

Melhor Longa Júri Oficial + Prêmio Edina Fujii – CiaRio: 25.000 reais em aluguel de equipamentos de luz, acessórios e maquinários concedidos pela Naymovie, em parceria com a CiaRio.
Acaso, de Luís Jungmann Girafa

Melhor Curta Júri Oficial  + Prêmio Edina Fujii – CiaRio: 10.000 reais em aluguel de equipamentos de luz, acessórios e maquinários concedidos pela Naymovie, em parceria com a CiaRio.
Benevolentes, de Thiago Nunes

Melhor Longa Júri Popular 
Advento de Maria, de Vinícius Machado

Melhor Curta Júri Popular 
A Casa do Caminho, de Renan Montenegro

Melhor Direção
Jimi Figueiredo e Sérgio Sartório, por Noctiluzes

Menção honrosa do Júri
Ao filme Vírus, de Larissa Mauro e Joy Ballard

Melhor Atriz
Maria Eduarda Maia, por Advento de Maria

Melhor Ator
Chico Sant’Anna, André Deca, Vinícius Ferreira, por Noctiluzes

Melhor Fotografia
Gustavo Serrate, por Cavalo Marinho

Melhor Roteiro
Vinícius Machado, por Advento de Maria

Melhor Direção de Arte
Rodrigo Lelis, por Filhos da Periferia

Melhor Montagem
João Inácio, por O Mestre da Cena

Melhor Som
Hudson Vasconcelos, por Ele tem Saudade

Melhor Caracterização – Maquiagem
Alzira Bosaipo, por Advento de Maria

Melhor Caracterização – Figurino
Tiago Nery, por Advento de Maria

Melhor Filme com Temática Afirmativa
A Casa do Caminho, de Renan Montenegro

Júri da Mostra Brasília: composto pela curadora Fabiana de Assis, a diretora e montadora Adriana de Andrade, e o diplomata, crítico e professor de audiovisual João Lanari Bo.

Outros Prêmios


Candango pelo Conjunto da Obra 2021
Léa Garcia

Prêmio Marco Antônio Guimarães (CPCB) –  entregue ao filme que melhor utiliza material de memória, pesquisa e arquivos do cinema brasileiro.
Ocupagem, de Joel Pizzini

Prêmio Cosme Alves Netto (Anistia Internacional Brasil) – entregue ao filme exibido que mais se aprofunda nas agendas dos direitos humanos.
Terra Nova, de Diego Bauer 

Melhor Longa-Metragem da Mostra Competitiva segundo júri da Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine)
Alice dos Anjos, de Daniel Leite Almeida

Melhor Curta-Metragem da Mostra Competitiva segundo júri da Abraccine
Adão, Eva e o Fruto Proibido, de R.B Lima

Menção Honrosa do júri da Abraccine
De Onde Viemos, Para Onde Vamos, de Rochane Torres

Troféu Canal Brasil – entregue ao Melhor Curta da Mostra Competitiva segundo júri técnico do Canal
Como Respirar Fora D’Água, de Júlia Fávero e Victoria Negreiros

Troféu Saruê – concedido ao “acontecimento” do festival segundo equipe do caderno de cultura do Correio Braziliense
Gê Martú

O que assistir no último dia de festival?

Murilo Rosa e Maria Paula. Foto: Paulo Cavera

A 54a edição do Festival de Brasília termina nesta terça (14), com cerimônia de premiação exibida na play.innsaei.tv a partir das 20h (disponível até meia-noite), com apresentação dos atores Murilo Rosa e Maria Paula. Saiba tudo da cerimônia aqui.

Muito além do evento de encerramento do festival, hoje ainda é dia para assistir a debates e uma série de filmes programados. Encerrando a programação de debates, as equipes de Era uma Vez… Uma Princesa, Da Boca da Noite à Barra do Dia e Saudade do Futuro se encontram às 10h desta terça (14), para um papo sob a mediação de Tatiana Andrade (entre na atividade).

O filme de encerramento do festival fica disponível na InnSaei.TV até às 20h de hoje. Abdzé Wede´Õ – Vírus não tem cura? (MT), de Divino Xavante aborda a luta dos povos Xavante contra o coronavírus. Os demais títulos expiram hoje à meia-noite.  Já que ninguém me tira pra dançar, filme de abertura sobre Leila Diniz ainda pode ser assistido, assim como Catadores de História, longa de Tânia Quaresma apresentado como homenagem da Mostra Brasília. No Festivalzinho, 15 curtas ainda estão disponíveis.

Cena do filme Procura-se Meteorango Kid

Pela Mostra Memória e Linguagens, você ainda pode ver o clássico Samba Riachão (2001), filme de Jorge Alfredo sobre o sambista baiano; e Procura-se Meteorango Kid: Vivo ou Morto documentário de Marcel Gonnet e Daniel Fróes ainda não lançado em salas do Brasil, sobre o mítico personagem Meteorango Kid do filme homônimo de André Luiz Oliveira, ícone da contracultura censurado pela ditadura em 1969. Disponíveis até às 23h59 de hoje.

A Mostra Sessentinha exibe nove clássicos da cinematografia brasiliense disponíveis, Alma Palavra Alma, Atlântico Negro – Na Rota dos Orixás, Louco por Cinema, Um Assalto de Fé, Sequestramos Augusto César, BraxíliaW3 Sul – Memória Coletiva e A Saga das Candangas Invisíveis. A Sessentinha programa, ainda, uma homenagem aos 50 anos de O País de São Saruê, longa icônico de Vladimir Carvalho. Títulos disponíveis até às 23h59 de hoje.

Pesquisa

Queremos saber o que você achou desta edição virtual do Festival de Brasília. Responda à pesquisa de satisfação e concorra a 30 catálogos sorteados pelo festival. Item disputado, o catálogo carrega a memória de cada edição do evento. Enviarmos para os endereços – em território brasileiro – dos vencedores do sorteio (caso o endereço seja). Participe!

 

 

Saiba tudo que acontece neste domingo no Festival de Brasília

Foto do filme Da Boca da Noite à Barra do Dia

O domingo é marcado pelas últimas estreias da Mostra Competitiva. Das 22h30 de hoje (12) às 22h30 de segunda (13), ficam disponíveis: Da Boca da Noite à Barra do Dia, curta de Tiago Delácio que registra o mestre Martelo e tradição da manifestação popular do cavalo-marinho na Zona da Mata pernambucana; e Era uma vez… Uma princesa, curta da diretora gaúcha Lisiane Cohen que mergulha na personagem Nina e sua busca de sentido diante da ausência de vida.

Cena do filme Era uma vez… Uma princesa

Saudade do Futuro

Cena do filme Saudade do Futuro

Longa de Anna Azevedo, Saudade do Futuro é o último filme a estrear na Mostra Competitiva do Festival de Brasília. Filmado entre Brasil, Cabo Verde e Portugal, países ligados pelo mar e a cultura da saudade, o filme encontra personagens marcados por ausências geradas após eventos que transformaram a história desses países. Estreia às 23h30 no Canal Brasil, e à 01h30 de segunda (13) na InnSaei.TV, ficando disponível até às 23h30.

Última chance

Cena do filme Os Ossos da Saudade

Última chance para assistir ao longa mineiro Os Ossos da Saudade na Mostra Memória e Linguagens. O filme trata de ausência, memória, representação e pertencimento, filmado por Marcos Pimentel entre Angola, Brasil, Cabo Verde, Moçambique e Portugal. Última oportunidade também para ver os filmes Sayonara, N.F. Trade e De Onde Viemos, Para Onde Vamos na InnSaei.TV. Os dois primeiros expiram às 22h30, e o terceiro, às 23h30. Na Mostra Brasília expiram os filmes Ele tem saudade, Benevolentes e Noctiluzes, todos às 20h.

Estreia

Cena do filme O Menino e o Mundo

De hoje (12) às 11h até segunda (13), também às 11h, o longa O Menino e o Mundo, de Alê Abreu, ganha sessão especial no Festivalzinho. A animação premiada de 2013 acompanha um menino que sai em busca do pai pelo mundo.

Seminários

Fernando Gabeira

Começando o dia, às 10h Fernando Gabeira, Luis Nachbin, Carlos Pronzato e Paula Saldanha falam sobre a prática do Cinema Andarilho (entre na atividade). E às 14h, os 50 anos do filme O País de São Saruê (1971) e 20 anos da restauração pelo CPCB são celebrados em painel que reúne o diretor do filme, Vladimir Carvalho, a Myrna Brandão, Mauro Domingues, Shirly Ferreira de Souza e Sílvio Tendler (entre na atividade). O País de São Saruê fica em cartaz no festival até o fim do dia 14 de dezembro (assista já!).

Debates

Foto do filme Como respirar fora d’água

Neste domingo, além dos debates entre filmes concorrentes nas mostras competitivas, as mostras paralelas também ganham tal espaço de troca. Às 10h, as equipes dos filmes Ela e eu, Como respirar fora d’água e Cantareira se reúnem para mais um debate da mostra competitiva, desta vez mediado por Sérgio Moriconi (entre na atividade). Às 15h acontecem os debates das mostras paralelas – Sessentinha mediado por Tania Montoro (entre clicando aqui) e Festivalzinho, mediado por Marialva Monteiro e Bete Bullara (entre clicando aqui). E às 17h, é a vez dos filmes Advento de Maria, A Casa do Caminho e Vírus se reunirem para o debate da Mostra Brasília, mediado por Caetano Curi (entre clicando aqui).

NEWSLETTER

Cadastre seu e-mail em nossa newsletter e fique por dentro das novidades do Festival.